Pular para o conteúdo principal

CÚPULA DA ROCHA

A Cúpula da Rocha ou Domo da Rocha é um santuário muçulmano que foi construído no Monte do Templo em 691 DC, localizado no Monte Moriá, no coração de Jerusalém. Este é o local em que judeus e cristãos acreditam que Abraão estava disposto a oferecer o seu filho Isaque em sacrifício a Deus (Gênesis 22: 1-14).
Alguns acreditam que a rocha tenha sido o local do Santo dos Santos, uma parte do templo judaico onde o sumo sacerdote judeu entrava uma vez por ano para fazer expiação pelos pecados de Israel.

A Cúpula da Rocha é uma estrutura impressionante, facilmente vista em muitas fotos de Jerusalém. Embora muitas pessoas erroneamente refiram-se à Cúpula da Rocha como uma mesquita, ela foi, de fato, construída como um santuário para os peregrinos, embora seja localizada perto de uma importante mesquita muçulmana. É revestida com o ouro derretido de mais de 100 mil moedas Dinar que cobre toda a cúpula, sendo considerada uma joia de arte bizantina.

Alguns acreditam que o Domo da Rocha foi construído porque, segundo a lenda muçulmana, o profeta Maomé foi levado ao Monte Moriá pelo Anjo Gabriel e de lá subiu ao céu e encontrou todos os profetas que o precederam, assim como viu Deus sentado em Seu trono cercado por anjos. No entanto, esta história não aparece em nenhum dos textos islâmicos até décadas após o santuário ter sido construído, o que levou alguns a acreditar que a razão principal pela qual a cúpula foi construída foi para comemorar a vitória islâmica sobre os cristãos em Jerusalém e não para honrar a suposta ascensão de Maomé.

Quando Israel assumiu o controle sobre essa parte de Jerusalém após a Guerra dos Seis Dias em 1967, os líderes israelenses permitiram que um grupo religioso islâmico tivesse autoridade sobre o Monte do Templo e o Domo da Rocha como forma de ajudar a manter a paz. Desde aquela época, os não-muçulmanos têm tido um acesso limitado à área, mas não têm permissão de orar lá.