Pular para o conteúdo principal

RELÓGIO ASTRONÔMICO

O Relógio Astronômico (ORLOJ) está localizado na parede sul da Prefeitura. Na sua parte superior, bonecos se mexem sobre os signos do zodíaco, enquanto na inferior é visto um calendário.

Ao fabricar o relógio, o relojoeiro colocou a terra no centro e os astros em sua volta. Seu objetivo era que o relógio reproduzisse as supostas órbitas do sol e da lua ao redor da terra. O ponteiro com o sol, que aponta as horas, marca na verdade três tipos de tempo. O anel externo com numerais arábicos medievais indica a antiga contagem da Boêmia, em que um dia de 24 horas se concluía com o pôr-do-sol. O anel com numerais romanos segue uma contagem igual à usada na atualidade. A parte azul do mostrador representa a área visível do céu, dividida em 12 partes. No chamado tempo babilônico, o período com luz do sol era dividido em 12 horas, cuja duração era diferente no verão e no inverno.

O relógio também mostra o movimento do sol e da lua pelos 12 signos do zodíaco, que eram muito importantes no século XVI.

O espetáculo

Cada vez que os ponteiros vão marcar uma hora cheia, uma multidão aglomera-se diante do relógio, e o momento mais esperado é a procissão dos 12 apóstolos.

Primeiro a figura da morte (o esqueleto à direita do relógio) puxa a corda de sua mão direita. À esquerda, uma ampulheta sobe e vira. Então se abrem duas janelas e as figuras dos Apóstolos movem-se em círculo lentamente, guiados por São Pedro.

No final dessa apresentação, um galo canta e o relógio bate a hora. Outros bonecos também se movem: o Turco mexe a cabeça, a Vaidade admira-se em um espelho, e a Avareza é representada pelo judeu que empresta dinheiro.

Curiosidade

O Orloj foi o primeiro relógio ganho pela prefeitura no início do século XV. Em 1940 foi reconstruído pelo relojoeiro-mestre Hanus. Conta-se que os conselheiros temiam tanto que ele recriasse sua obra-prima em outro lugar que o cegaram.