Pular para o conteúdo principal

MAR MORTO

O Mar Morto é, na verdade, um lago salgado. Ele fica entre a Jordânia (a leste) e Israel e a Cisjordânia (a oeste). O índice de salinidade do Mar morto é um dos maiores do planeta. Para se ter uma ideia, a média da quantidade de sal nos oceanos é de 35g para cada litro d’água, enquanto no Mar Morto a média é de 300g. Por causa disso, além de dificultar a proliferação de formas de vida macroscópicas, o Mar morto é denso o suficiente para impedir que um corpo afunde nele, sendo possível boiar facilmente em suas águas.
O Mar Morto tem cerca de 80 quilômetros de comprimento e 16 quilômetros de largura. Sua superfície fica 400 metros abaixo do nível do mar, o que o torna a massa de água de menor altitude no mundo. Sua parte mais funda fica ao norte, onde a profundidade é cerca de 300 metros. O rio Jordão deságua na parte norte do Mar Morto.
O Mar Morto é cercado por um deserto. As altas temperaturas do verão provocam grande evaporação da água. Como chove muito pouco na região, a água que evapora não é rapidamente substituída. Dessa maneira, uma alta concentração de sal se formou ao longo dos anos.

Além da grande quantidade de sal, há reservas de carbonato de potássio, gipsita e outras substâncias químicas. O sal do Mar Morto é usado desde a antiguidade. No começo do século XIX, fábricas começaram a extrair também carbonato de potássio, magnésio, cloreto de cálcio, bromo e outras substâncias.
A lama negra, composta por minerais do mar, também possui efeitos benéficos cientificamente comprovados para a saúde, que levaram ao desenvolvimento de uma próspera indústria cosmética.

Relato bíblico

Há mais de 4 mil anos ao sul do Mar Morto, ficavam as cidades de Sodoma e Gomorra, destruídas por Deus devido a sua perversão e decadência moral.
Uma chuva de sal completou a catástrofe. Na planície queimada por enxofre e sal, a terra tornara-se estéril, sendo que lá “nada podia ser plantado e nenhuma vida brotaria”. Surge depois um enorme lago de sal e betume a leste do deserto de Judá, e é conhecido em hebraico como Yam Hamelach, o mar de sal.

Várias seitas de judeus estabeleceram-se no alto das margens do Mar Morto. No final da década de 1940 e início de 1950, lá foram encontrados centenas de documentos e fragmentos de textos datados do período entre 150 A.C. e 70 que se tornaram conhecidos como os Pergaminhos do Mar Morto.

Mar ameaçado

Atualmente, existe o temor de que o Mar Morto esteja secando. Em função dos desvios e usos das águas do Rio Jordão, além dos elevados índices de evaporação, seus níveis estão diminuindo. Além disso suas águas estão sendo usadas por Israel e Jordânia.
Por esse motivo, está em construção o aqueduto “Canal da Paz”, que faria uma ligação entre o Mar Morto e o Mar Vermelho, que ajudaria a abastecer suas águas. A importância desse grande lago de água salgada está em seu potencial turístico, muito aproveitado tanto pelos israelenses quanto pelos jordanianos. Além disso, ele é responsável por amenizar as baixíssimas taxas de umidade do ar que atingem a região onde se encontra.