Pular para o conteúdo principal

ÓPERA NACIONAL HÚNGARA

A Ópera Nacional Húngara (Magyar Állami Operaház) foi instalada em um belo prédio neo-renascentista, com vários elementos em mármore e afrescos. Esta casa de espetáculos foi um projeto encomendado pelo imperador Francisco José, tendo sida aberta em 1884.

Foi projetada pelo arquiteto Miklós Ybl. O interior dessa obra-prima arquitetônica é tão ornamentado que só poderia ter sido construído no auge da prosperidade do Império Austro-Húngaro.

Acomodou grandes expoentes do cenário musical centro-europeu, como Ferenc Erkel, Gustav Mahler e Otto Klemperer.

Muitos dos melhores cantores líricos do mundo se apresentaram aqui, incluindo Renée Fleming, Placido Domingo, Luciano Pavarotti, José Cura e Juan Diego Flórez.

A temporada de ópera e balé ocorre de setembro a junho e inclui clássicos e estreias ocasionais.

Destaques

  • Fachada e entrada principal.
  • Estátuas de Liszt e Erkel: as estátuas dos dois grandes compositores húngaros guardam a entrada da Ópera. Ferenc Erkel compôs o hino nacional húngaro e fundou a Orquestra Filarmônica de Budapeste. Foi também o primeiro diretor musical da Ópera.
  • Átrio: maravilhoso conjunto de murais, teto abobadado em tons dourados, colunas e candelabros foi encomendado para competir com o da Ópera de Viena.
  • Escadaria
  • Candelabro: pesando 2.722 kg, ilumina um afresco dos deuses gregos no Olimpo.
  • Palco principal: após o incêndio que atingiu o Ring Theatre de Viena, por medida de segurança foram instalados uma cortina à prova de fogo e um sistema de borrifação, o que a tornou a casa de ópera mais moderna da época.
  • Camarote real: decorado com esculturas que simbolizam os quatro registros vocais (soprano, baixo, tenor e barítono), está no centro de um círculo com três andares.
  • Museu: abriga vários objetos de músicos famosos que se apresentaram no palco da Ópera.